Projetos

Tecnologias Sociais

O Projeto Tecnologias para o Desenvolvimento Social tem como principal objetivo, contribuir para o fortalecimento das cadeias produtivas dos empreendimentos econômicos e solidários. No Tocantins o projeto é formado pelos subprojetos Jalamel, Redepeixe, Gestleite e Formrede que promovem desenvolvimento de cadeias produtivas em 21 municípios do interior do Estado. 

A iniciativa é da Sedecti, em parceria  com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e a Finep – Agência Brasileira de Inovação, que são agentes financiadores de pesquisas da UFT - Universidade Federal do Tocantins, Unirg - Fundação Centro Universitário de Gurupi, Unitins - Fundação Universidade do Tocantins Unitins e IFTO – Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Tocantins.

Para realização dos projetos a Sedecti possui uma equipe multidisciplinar formada por pesquisadores, consultores, técnicos e bolsistas. Para gerenciar as ações, são realizadas visitas in loco, reuniões e seminários, que resultam em relatórios, que têm comprovado a inovação nos processos produtivos, agregando valor aos produtos e derivados. A execução do projeto envolve orçamento de aproximadamente R$ 2.500.000,00.

Jalamel

O subprojeto Jalamel pretende fortalecer a apicultura no Jalapão, por meio de capacitações sobre o manejo e a gestão de apiários, contribuindo para elevar o conhecimento, a renda e o desenvolvimento social dos apicultores localizados nos municípios de Mateiros, São Félix, Lizarda, Novo Acordo, Ponte Alta, Lagoa do Tocantins, Rio do Sono e Santa Tereza.  Entre as ações realizadas, está a identificação das plantas nativas com aptidão para produção de mel. O subprojeto também pretende agregar valor ao produto, associando-o ao artesanato local.

Redepeixe

O Redepeixe tem como objetivo incrementar a cadeia produtiva da pesca e piscicultura nos municípios de Tocantinópolis, São Miguel do Tocantins, Praia Norte, Itaguatins e Sampaio. As atividades do sub-projeto compreendem capacitações sobre economia solidária, autogestão, educação associativa, práticas produtivas e inclusão digital comunitária. No Tocantins são produzidas anualmente quatro mil toneladas de tambaqui, caranha, tambacu e pirarucu.

Gestleite e Formrede

O Gestleite e Formrede beneficiam associações de produtores rurais de Arraias, Aurora do Tocantins, Combinado, Lavandeira, Conceição do Tocantins, Dianópolis, Paranã e Taguatinga.  No caso do Gestleite, a intenção é aumentar  a competitividade da cadeia produtivado de leite nesses municípios. Esta ação conta com o apoio da Seagro, Ruraltins, Prefeituras, Sebrae e Senar.

Já o Formrede tem a finalidade de formar redes comunitárias na zona rural, por meio da instalação de oito telecentros. Estima-se que ao final do projeto haja a inclusão sóciodigital de 250 produtores. Os telecentros terão dois monitores da comunidade rural e bolsistas do governo federal, que têm o papel de mediar o conhecimento e promover a aproximação da comunidade com o computador.