Notícias

Após missão ao Japão, Alexandro de Castro visita Câmara de Comércio e Indústria Japonesa  do Brasil

06/10/2017 - Governo do Tocantins

Dando continuidade às tratativas iniciadas pela comitiva encabeçada pelo governador Marcelo Miranda no Japão, no último mês de setembro, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, Alexandro de Castro Silva, visitou, nesta sexta-feira, 6, a Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, em São Paulo. Acompanhado pelo diretor comercial da Nippon Koei Lac do Brasil Ltda., Roberto Kurokawa, o gestor foi recebido pelo secretário-geral da Câmara, Fujiyoshi Hirata.

Na oportunidade, Alexandro de Castro agradeceu o apoio da Câmara à comitiva tocantinense, tanto no que diz respeito às tratativas com a iniciativa privada quanto com as entidades do governo japonês. “Há mais de um ano e meio que o Governo do Tocantins tem feito diversos contatos, reuniões e seminários com a Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil e, sem dúvida, a Câmara tem sido um parceiro estratégico nesse processo de atração das empresas japonesas e da continuidade dos investimentos do governo japonês no Estado”, destacou o secretário.

O fortalecimento das relações comerciais e institucionais entre o Tocantins e o Japão, bem como a busca de investimentos para o setor da agroindústria do Estado, estiveram no foco do Governo do Estado durante a missão ao Japão, entre os dias 15 a 23 de setembro. Na oportunidade, a equipe evidenciou o potencial produtivo, com o propósito de atrair o interesse daquele país no Tocantins.

Um dos destaques foi a apresentação a empresários japoneses do programa Tocantins Agro, que visa implementar a produção agrícola do Estado e a oferta de segurança alimentar para o mercado interno e externo. O programa prevê a construção de sete barragens em rios do sudoeste, que vão perenizar uma área de várzea tropical de 300 mil hectares. Além de recursos oriundos de financiamento internacional, com contrapartida do Estado, a execução do projeto deverá se dá por meio de Parceria Público-Privada (PPP). 

*(Com informações da Assessoria de Imprensa da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil)

Compartilhe esta notícia