Notícias

Reuniões marcam nova fase da elaboração do projeto do Parque Tecnológico do Tocantins

08/03/2017 - Daniela Oliveira/Governo do Tocantins

Uma série de reuniões entre governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden), e diversos parceiros foi iniciada nessa terça-feira, 7,  visando dar seguimento à elaboração do projeto executivo do Parque Tecnológico do Tocantins, em Palmas.

Os encontros com técnicos da prefeitura de Palmas, Instituições de Ensino Superior (IES) e de entidades ligadas ao setor tem como objetivo ajudar na conclusão do projeto executivo. De acordo com Marcus Dias, coordenador técnico do Centro de Tecnologias Inovadoras (Certi), fundação contratada para realizar o estudo de viabilidade e consultoria para a implantação do parque no Estado, este é o momento de integrar propostas, estabelecer prioridades e buscar o engajamento de diversos órgãos, da academia e de entidades. “Precisamos reunir forças para a criação de um parque tecnológico que atenda as demandas do setor e contribua para o desenvolvimento econômico do Estado”, pontuou.

Abrindo a primeira rodada de reuniões, o secretário da Seden, Alexandro de Castro, disse que o parque será importante para o desenvolvimento econômico do Estado. “Ele irá cumprir com o seu papel, que é fazer com que as tecnologias desenvolvidas possam ser melhor aproveitadas e aplicadas, gerando negócios e aumentando a competitividade das empresas do Tocantins”, destacou.  

De acordo com o projeto executivo, o Parque Tecnológico do Tocantins poderá abrigar de mil a 1.500 empresas e instituições podendo gerar até 16 mil empregos diretos. Ainda, o espaço deve contar com centro tecnológico, incubadora, centro de convenções, hotel, centro comercial, além de espaços voltados especialmente para empresas elaboradoras de projetos em energia, economia verde, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e biotecnologia. A primeira fase do projeto prevê a construção de um Centro de Inovação.

Reunião com representantes da prefeitura de Palmas

 A primeira reunião do dia aconteceu no auditório do Orquidário Municipal de Palmas e contou com a presença da prefeita em exercício, Cinthia Ribeiro, dos secretários de Desenvolvimento Econômico e Emprego, Kariello Coelho, de Projetos, Captação de Recursos e Energias Sustentáveis, Fábio Frantz, e ainda com o presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente, Evercino Moura, dentre outros.

Para a prefeita em exercício, investir em ciência e tecnologia é uma forma de manter a competitividade das empresas estabelecidas em Palmas em relação a outros estados. “Precisamos pensar a cidade para o futuro”, enfatizou.

Reunião na Fieto

Dando continuidade à agenda outro encontro foi realizado com o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO), Roberto Pires. De acordo com Pires, o parque será um mecanismo de desenvolvimento do Estado. “O Parque de Tecnologia será importante para disseminar a cultura da inovação no Estado”, disse.

Outros encontros

Fechando a agenda da manhã a equipe da Seden foi recebida pelo diretor-técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Tocantins (Sebrae), Higino Júlia. De acordo com Higino, o Sebrae já desenvolve projetos ligados à inovação no Estado. “O Sebrae tem em sua missão a promoção de micro e pequenas empresas com foco na competitividade, por isso, não podemos ficar de fora de um projeto como esse”, destacou. A rodada de reuniões continua nesta quarta-feira, 8, com algumas Instituições de Ensino Superior do Estado.

O parque

Um Parque Tecnológico, além de oferecer infraestrutura básica e incentivos fiscais, conta também com laboratórios e centros de pesquisas. O Parque Tecnológico do Tocantins será implantado próximo a Universidade Federal do Tocantins (UFT) e do anel viário que liga a ponte a rodovia TO-080. A área total do parque pode chegar a 540 mil metros quadrados.

Os recursos para a elaboração do projeto são da ordem de R$ 980 mil, sendo R$ 720 mil provenientes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI) e R$ 260 mil de contrapartida do governo do Estado. O projeto é coordenado pela Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (FAPTO) e conta com apoio da UFT.  

Compartilhe esta notícia