Notícias

Seden encerra ano com várias conquistas e boas projeções para 2019 nos setores de Desenvolvimento Econômico e Ciência e Tecnologia

26/12/2018 - Seleucia Fontes/Governo do Tocantins

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura é uma pasta de alta complexidade que tem em sua missão desde a atração de investimentos até o fomento à pesquisa científica, passando pela valorização dos atrativos turísticos do Estado e dos nossos expoentes culturais. “Trabalhando dentro desta prerrogativa tivemos várias conquistas em 2018, como a participação em eventos de nível nacional em todos os setores atendidos pela Seden, parcerias com instituições como a UFT e a Fieto, além do Governo Federal, para o desenvolvimento de projetos e financiamento de pesquisas, elaboração dos projetos necessários à implantação do Parque Tecnológico do Tocantins”, resume o gestor da Pasta, Wilson Charles Sousa de Seixas.

De acordo com o secretário, as projeções para o próximo ano são ainda melhores, pois envolvem a conclusão de projetos iniciados em 2018 e a previsão de novas ações. “Para 2019, temos o desafio lançado pelo governador Mauro Carlesse de ampliar nossa demanda de atendimento aos projetos que visarem o crescimento econômico do Estado do Tocantins, fomentando assim a geração de emprego e renda, e dessa forma o desenvolvimento do Estado como um todo”, garante Wilson Charles.

Desenvolvimento Econômico

A Superintendência de Desenvolvimento Econômico tem desenvolvido ações de elevada importância, que terão reflexo crescimento do Estado do Tocantins.

A Diretoria de Desenvolvimento Estratégico e Atração de Investimentos (DDEAI) esteve presente em diversas negociações, eventos nacionais e receptivo a empresários de outros estados e países interessados em investir no Estado. O setor destaca a entrega do projeto executivo para implantação do Parque Tecnológico do Tocantins e seu Centro de Inovação juntamente com o estudo de sua governança, por meio de convênio com a Universidade Federal do Tocantins e a Fundação CERTI, com utilização de recursos descentralizados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Busca-se para 2019, além das ações de atração de investimentos através de feiras e exposições, missões nacionais e internacionais, visando a promoção do Estado, dar continuidade às negociações com a Receita Federal e Infraero para o alfandegamento do Terminal de Logística de Cargas do Aeroporto de Palmas (TECA), articulação para viabilização da TO-500 Transbananal, articulação para expansão do hub aéreo para os aeroportos do Tocantins e o início das atividades de navegação do Porto de Praia Norte, entre outros.

Já a Diretoria de Desenvolvimento Econômico (DDE) atuou no fortalecimento de Cadeias e Arranjos Produtivos (APLs) da Cachaça, Piscicultura e do Babaçu, um trabalho que envolve realização de estudos e pesquisas, elaboração de planos de desenvolvimento setoriais e diagnósticos voltados para a identificação e mapeamento de arranjos produtivos, de oportunidades e/ou potencialidades dos segmentos produtivos do Estado, promoção de capacitações profissionais, participação em eventos de promoção e divulgação comercial, como é o caso da Agrotins e da Aguishow 2018, em Santa Fé do Sul (SP), apoio na revitalização de associações e cooperativas.

Um dos destaques nesta atuação foi a assinatura do Termo de Colaboração Técnica entre a Seden e UFT, em abril, para o desenvolvimento de novos produtos a partir de frutos do cerrado tocantinense, agregando valor à nossa biodiversidade, estudo das propriedades físico-químicas, estudo comparativo com outros óleos e pedido de patente junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Também foi firmado acordo para iniciar a elaboração do estudo de mercado para compor o Projeto Escola de Lapidação de Cristal, em Cristalândia e assinado Termo de Colaboração Técnica com o Ceulp/Ulbra para elaboração do Plano de Marketing da APL do Babaçu.

Para 2019, além da continuidade dos projetos em andamento, a projeção é a participação em uma maior quantidade de eventos regionais e nacionais, rodadas de negócios, reestruturação do DAIARA Araguaína e implantação dos Distritos Industriais de Guaraí e Gurupi, estreitamento de relações com a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), entre outros.

Ciência e Tecnologia

Em 2018, o Tocantins tornou-se um dos primeiros estados brasileiros a lançar o novo Marco Legal, que estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, beneficiando os pequenos empreendedores que movimentam a economia do Tocantins. “Para 2019, o objetivo é aprovar o Marco Legal na Assembleia Legislativa, além disso, queremos trabalhar para que o Parque Tecnológico seja realidade no Estado”, afirma Márcio Silveira, superintendente de Ciência e Tecnologia e presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa.

Outras ações de grande relevância para o setor no Estado foram adotadas neste ano, como a realização de encontros com especialistas e instituições de ensino superior; capacitações; visitas técnicas; a liberação de recursos para  pesquisadores do Programa de Pesquisa para o SUS (PPSUS), para as áreas de gestão em saúde, educação em saúde, epidemiologia e vigilância em saúde, sangue e hemoderivados, e assistência em saúde; abertura editais em parceria com a FAPT/Capes, anúncio do Programa de Estruturação do Sistema Estadual de Pesquisa, beneficiando cerca de 300 pesquisadores tocantinenses, gestão para abertura de mestrados e licitações para reforma de associações rurais; posse dos novos conselheiros de ciência e tecnologia no Tocantins; entrega de um caminhão para o Centro de Pesquisa Agropecuária da Universidade do Tocantins (Unitins-Agro).

Segundo Márcio Silveira, uma das missões de suas missões é aproximar o Estado da comunidade científica. “Ao assumir a superintendência de ciência e tecnologia e a presidência da FAP fizemos uma reunião com todos os pesquisadores do Estado no Palácio Araguaia, colocamos a situação real e as nossas dificuldades de orçamento, estabelecemos objetivos muito claros com a comunidade científica. E garantimos que lançaremos novos editais em 2019 em áreas estratégicas”, revela, citando outros desafios para o próximo ano, entre elas a conclusão do Laboratório de Referência animal e Araguaína (LARA) e a aquisição de equipamentos para pesquisadores.